Diário do Bolso

Hora de dar a mão à palmatória. Meu novo ministro vai querer o ‘Diário do Bolso 3’?

Diário, escolhi o novo ministro da Educação. O negócio agora é bang-bang! E eu digo porque esse ministro é a favor de dar uma surrinha nas crianças.

@diáriodobolso

Diário, escolhi o novo ministro da educação. Vai ser o pastor Milton Ribeiro.

Ele foi vice-reitor do Mackenzie, então deve ser criacionista, o que é bom. Chega dessa ditadura da ciência. Sai biologia, entra teologia.

Acabou esse papo de Big Bang. O negócio agora é bang-bang!

E eu digo isso de bang-bang porque esse ministro é a favor de dar uma surrinha nas crianças.

Ele falou que a “correção é necessária para a cura”. Ele acha que só uma “uma porcentagem muito pequena de criança, precoce e superdotada, é que vai entender o seu argumento”. E eu concordo! Nada de conversinha! Pro Milton “deve haver rigor, severidade” na educação. E a criança “deve sentir dor”.

Já estão fazendo muito mimimi com isso. Mas e daí? Eu bati nos meus filhos e eles ficaram ótimos. Tudo gente tão boa quanto eu.

Ah, se o Ustra estivesse vivo…, que ministro da Educação ele não ia ser…


Atenção, novo ministro:

Para os que gostam mais de livros que de palmatórias, faltam só dois dias para o fim da campanha do “Diário do Bolso 3”. O link é esse: https://www.catarse.me/DiariodoBolso3?ref=project_link


Opa! Agora pensei numa coisa: será que o Milton vai querer palmatória como material pros professores? Ô, meu Deus, lá vem gasto… O Paulo Guedes não vai gostar.

O Milton também acha que o marido é quem comanda a casa. “O homem é que impõe o caminho que a família vai seguir”. E é isso aí, pô! Chega de mulher mandando. Não tem nada desse negócio de direitos iguais. Tá lá na Bíblia! Eu só não vou agora ver onde isso tá escrito porque a Bíblia é um monte de letra amontoada.

Diário, uma grande vantagem em ter um pastor como ministro da Educação é que o aluno vai economizar em material didático. É só comprar uma bíblia e pronto: lá já tá tudo o que vai cair no Enem.

A desvantagem é que o pessoal vai fazer aquela piadinha: “Chegou mais um pastor pro gado”.

Aliás, li aí numa manchete que o único tipo de livro que aumentou em vendas nos últimos 14 anos é o livro religioso.

Dá-lhe, Deus! Chupa, Darwin!

@diariodobolso