Teimosia

Ministro da Educação é desmentido por universidade e ‘corrige’ currículo

“Prova” da formação mostrada por Decotelli refere-se apenas a parte do curso, mas tese que propôs para obter o certificado nem chegou a ser concluída

Twitter/Jair Bolsonaro
Tese do ministro foi reprovada na Universidade Nacional de Rosario

São Paulo – O novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli da Silva, alterou nesta sexta-feira (26) a informação em seu currículo acadêmico sobre seu diploma de doutorado em Administração pela Universidade Nacional de Rosario, depois de sucessivas tentativas de manter a informação falsa em sua biografia.

Após a notícia de que Decotelli não se doutorou por aquela universidade argentina – conforme “orgulhosamente” divulgado pelo presidente Jair Bolsonaro –, o Ministério da Educação (MEC) tentou desmentir o reitor daquela instituição, divulgando um certificado que seria a prova da titulação do substituto de Abraham Weintraub – que fugiu para os Estados Unidos.

No entanto, trata-se de um certificado de alguns créditos que Decotelli cumpriu no programa de doutorado (cópia abaixo) em Administração. No meio acadêmico, créditos são unidades associadas a determinada quantidade de horas de atividades programadas durante o curso.

(Reprodução)

À CNN Brasil, o reitor da Universidade Nacional de Rosario, Franco Bartolacci, reafirmou – como havia feito em seu perfil no Twitter – que o ministro jamais se doutorou em Administração pela Faculdade de Ciências Econômicas daquela academia. Na verdade, ele participou do curso, entre os anos 2008 e 2009, mas sua tese foi reprovada pela orientador. Ele não tentou pela segunda vez.

À CNN, o orientador do trabalho e pró-reitor da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Antonio de Araujo Freitas Junior confirmou que a tese “Gestão de Riscos na Modelagem dos Preços da Soja”, que foi proposta por Decotelli, nem sequer foi concluída. “Não houve tese”, disse à emissora.

A maquiagem na titulação do ministro incluia ainda um pós-doutorado na Universidade de Wuppertal, na Alemanha. Como o doutorado é pré-requisito, é de se supor que o curso subsequente tenha sido feito pela metade.

Recuo

No fim da tarde desta sexta, Decotelli resolveu, finalmente, alterar seu currículo Lattes. A plataforma – criada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – reúne todo o percurso acadêmico de pesquisadores e estudantes brasileiros.

Agora, o documento do novo ministro ressalva que ele concluiu os créditos do doutorado em Administração, mas não defendeu a tese. O título da tese e o nome do orientador ( Antonio de Araujo Freitas Jr ) foram excluídos. O campo “Título” foi preenchido com “Créditos concluídos”. No campo “Orientador”, agora foi colocado: “Sem defesa de tese”.

Edição: Fábio M. Michel


Leia também


Últimas notícias