pandemia avança

Ministério da Saúde corrige número de mortos pela covid-19 em 24 horas: 113, em vez de 383

Pasta divulgou números errados sobre o total de óbitos, agora de 2.575. São Paulo segue como epicentro da crise: são 1.037 mortos e 14.580 doentes, em registros oficiais

Daniel Linguitte/Fotos Publicas
São Paulo passa de mil mortos peno novo coronavírus. Isolamento social segue como recomendação

São Paulo – Todos os números da covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, seguem em crescimento no Brasil. Com letalidade na casa dos 6,3% no Brasil, o país registra oficialmente 2.575 mortos e 40.581 doentes. Segundo boletim do Ministério da Saúde divulgado na tarde desta segunda-feira (20), foram 113 mortos em um período de 24 horas. Pouco antes, a pasta havia declarado um salto de 383 óbitos no período, frente a 115 mortes registrados no domingo anterior.

O Sudeste concentra a maioria de casos, com 55,1% do total, ou 21.285 infectados. Em seguida vem o Nordeste, com 24,1%, ou 9.300 doentes; o Sul, com 7,3%, ou 2.816 doentes; Norte, com 9,5%, ou 3.691 contaminados; e o Centro-Oeste, com 4%, ou 1.562.

Subnotificação esconde dimensão da covid-19 no Brasil
Flávio Dino monta ‘operação de guerra’ para levar respiradores ao Maranhão
Saiba tudo sobre o novo coronavírus

São Paulo segue como estado com maior número de casos de covid-19: são 14.580 casos confirmados e 1.037 mortes. Os dados estão defasados, de acordo com pesquisadores, já que o país aplica um número insuficiente de testes que permitam o real mapeamento da disseminação. Os números podem ser mais do que 10 vezes maiores.

O estado segue com medidas de isolamento social até o dia 10 de maio. A meta é que o isolamento chega a 70% da população, algo ainda distante. De acordo com dados do fim de semana (que naturalmente tem um índice maior de isolamento), 59% dos paulistas ficaram em casa. Na capital, esse índice foi de 58%.

Após São Paulo, o Rio de Janeiro tem maior contágio pelo novo coronavírus. São 4.765 doentes e 402 mortos, seguido pelo Ceará, com 3.482 doentes e 198 mortos; Pernambuco, com 2.690 casos e 234 mortes; e Amazonas, com 2.160 doentes e 185 mortos.


Leia também


Últimas notícias