Pandemia e abandono

Brasil tem 1,6 milhão de casos de covid-19 e quase 65 mil mortes, 16 mil em São Paulo

Brasil e EUA atrasaram estratégias de combate e antecipam flexibilização equivocadamente. Internados em estado grave crescem 13,6% em uma semana em São Paulo

Reprodução
Flórida, nos Estados Unidos, permitiu abertura de bares em maio e viu crescer a escalada de contágios. São Paulo prevê reabertura

São Paulo – O Brasil chegou neste domingo (5) a 1.603.055 casos de contaminação pelo novo coronavírus. De acordo com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), 64.867 pessoas perderam a vida em decorrência da covid-19. O estado de São Paulo, que entra nesta semana na fase amarela do “controle”, concentra 16.078 mortes e mais de 320 mil casos de contágio: tem 14.094 pessoas internadas, sendo 6.416 em estado grave, em UTI, e 8.488 em enfermarias. O número de pessoas internadas em estado grave, em UTIs, cresceu 13,6% em uma semana.

Embora São Paulo seja o estado com os piores números em relação à pandemia, o governador João Doria (PSDB) antecipou o funcionamento de academias e outros eventos. A capital prepara ainda a abertura de bares, à espera das mesmas filas para diversão vistas no Rio de Janeiro.

“Esses serviços não são essenciais e essa reabertura é muito arriscada. Seria preciso buscar outras maneiras de manter a economia se movimentando. Academias, por exemplo, representam aglomerações de pessoas emitindo gotículas de saliva, de suor, é muito preocupante”, afirmou o médico da saúde da família Aristoteles Cardona à RBA.

Com essa marca, o Brasil continua como o segundo país do mundo com maior número de mortes na pandemia, perdendo apenas para os Estados Unidos, que registra mais de 130 mil óbitos. O Reino Unido ocupa a terceira posição, com 45 mil mortes.

Depois de São Paulo, os estados com mais casos acumulados são: Ceará (121.424), Rio de Janeiro (121.292) e Pará (113.811).

Semelhança mórbida

Nos Estados Unidos, governos que haviam flexibilizado a abertura do comércio começaram a recuar da decisão após o número de casos voltar a crescer, sobretudo no sul. A Flórida, onde vive grande número de brasileiros, teve recorde de contágios – movimento que passou a ocorrer em várias localidades da região sul do país, antes com menor incidência em relação ao norte.

O número total de pessoas com covid-19 deve ultrapassar a marca dos 2,5 milhões neste fim de semana. Assim como no Brasil, o governo americano negligenciou a gravidade da pandemia do coronavírus e ainda está longe de uma situação de controle.